peregrinosdaestrada.com.br
Peregrinos da estrada

Essa questão é uma dúvida frequente para muitos motociclistas, por isso vamos esclarecer e assim evitar problemas de impermeabilidade.
Existem dois tipos de patchs que podemos aplicar nas jaquetas e coletes, o tradicional que deve ser custurado e o novo tipo, conhecido por termo-adesivo. Este veio facilitar e muito a forma de aplicação dos patchs nas roupas. No entanto, para aplicar nas jaquetas, é preciso ter cautela, pois uma aplicação feita sem os devidos cuidados pode danificar a película que é responsável pela impermeabilização da jaqueta. O patch da foto foi aplicado com o processo termo adesivo.
As jaquetas tem uma abertura na parte das costas, altura da cintura.
Veja como é a película responsável por impermeabilizar sua jaqueta.
É uma película emborrachada, material fino e delicado, por isso não é recomendado costurar nada na jaqueta. Existe a possibilidade de se aplicar patchs com o recurso de costurar, mas tem que saber muito bem o que se está fazendo, pois se cometer uma falha, é o que basta pra comprometer a impermeabilização da jaqueta.

Visando solucionar este problema e facilitar a aplicação de patchs nas jaquetas, foi desenvolvido o processo termo-adesivo.
Este processo está sendo utilizado pela maioria dos comerciantes que participam dos eventos de motociclistas, no entanto ele oferece risco a impermeabilização da jaqueta, pois o pessoal não se atentou para o detalhe principal, a película pode sofrer danos ao ser aplicado calor sobre ela.

Nas feiras e festas os comerciantes de patchs tem uma prensa própria para a aplicação do patch que já vem com o material colante em seu verso. Desta forma o patch é posicionado no local escolhido e colocado na prensa, após alguns segundo está pronto, as vezes é preciso um retoque por alguma ponta não ter colado adequadamente e assim é usado um pouco de cola pra ajudar e outra vez é aplicado o calor na prensa. Exatemente nesse momento que o risco de perder a impermeabilidade da jaqueta, é multiplicado ao infinito, pois receberá mais calor do que é recomendado, será uma segunda aplicação no material que já sofreu certa deformação com o calor recebido na primeira aplicação.
Na melhor das hipóteses só acontece o que você pode conferir na foto ao lado. A película adere a cordura e não sofre maiores danos ou seja ainda é eficiente para lhe manter seco. No entanto, caso o calor aplicado passe um pouco do limite sua jaqueta pederá a impermeabilidade.





O ideal é que após a aplicação a película continue solta como nesta foto.
Para se assegurar que não terá problemas com a pelicula da sua jaqueta, o recomendado é fazer a aplicação do patch com um ferro de passar roupa, em casa, mas lembre de abrir a jaqueta (como indicado no ínicio, na parte do zíper) e colocar uma toalha posicionada entre a película e a cordura para evitar que a película seja atingida pelo calor.


Outra opção é usar as colas super adesivas, mas este processo geralmente danifica o patch. Além de dar algum trabalho pra conseguir deixar o patch completamente colado a superfície da jaqueta, outro inconveniete de usar essas colas é que ele fica duro, perde a maleabilidade do tecido.
Pensando nisso tudo, dou parabéns aos Moto Clubes que fazem uso dos coletes, pois assim aplicam todos os patchs nos coletes e não tem problemas com as jaquetas. A melhor opção ao meu ver é adotar o uso de colete e nele aplicar todos os patchs que desejar, aí tanto faz se é o tradicional que precisa ser costurado ou o termo-adesivo com a aplicação de calor.

Fotos e texto: Marcelo Poeta

Aplicando patch termocolante na jaqueta

jaqueta-002.jpgjaqueta-003.jpgjaqueta-004.jpgjaqueta-005.jpgjaqueta-006.jpgjaqueta-007.jpgpatch.jpg